PT | EN

21º Prémio do Jovem Empreendedor já tem candidaturas abertas

70151006_2788023841208638_1531089556793720832_n
A ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários tem em curso o processo de candidatura ao 21.º Prémio do Jovem Empreendedor, uma das mais antigas distinções nacionais concedidas a promotores de ideias de negócio e a fundadores de empresas em fases iniciais de desenvolvimento. A call está aberta até ao dia 15 de outubro, devendo os candidatos apresentar, através de uma candidatura online, um plano de negócio que descreva, explique e fundamente o respetivo projeto de criação ou expansão de uma empresa. 
 
Só podem ser submetidos a concurso projetos empresariais early stage promovidos por jovens entre os 18 e os 40 anos, mediante, como já se disse, a apresentação de um plano com as seguintes componentes: especificações do negócio; análise de mercado; estudo económico-financeiro; demonstração da conta Estado e outros entes públicos; balanço e demonstração de resultados previsionais. Para serem elegíveis, os projetos devem revelar características empreendedoras, caráter inovador, potencial de mercado, viabilidade económico-financeira e impacto previsível na comunidade (local, regional e/ou nacional).  
 
Com periodicidade anual, o Prémio do Jovem Empreendedor não só valoriza publicamente negócios de elevado potencial como garante aos projetos distinguidos importantes apoios à sua atividade. Os vencedores do prémio recebem 10.000 euros para aplicar obrigatoriamente no capital social da empresa e usufruem de serviços de formação/mentoria, coaching, incubação, aceleração e networking avaliados em cerca de 15.000 euros. Estes serviços são prestados pela ANJE e por parceiros da iniciativa.
Acresce que, enquanto parceira do prémio, a Portugal Ventures (sociedade gestora de fundos de capital de risco públicos) poderá investir no projeto vencedor. Este eventual financiamento está, contudo, dependente de um processo de análise e avaliação do projeto, de acordo com os procedimentos de screening habitualmente adotados pela Portugal Ventures.
 
Para o presidente da ANJE, “o Prémio do Jovem Empreendedor é uma boa oportunidade para financiar e escalar um negócio, bem como para atrair investidores. A atenção que os finalistas do prémio, sobretudo o vencedor, recebem por parte dos players do ecossistema favorece quem necessita de apoio, financeiro ou outro, para desenvolver um negócio com sucesso”, sublinha José Pedro Freitas. “Mais ainda”, acrescenta, “numa altura em que há uma forte e saudável competição por financiamento no cada vez mais dinâmico ecossistema empreendedor português”.
 
Importa referir que os concorrentes ao prémio são avaliados por um júri independente e idóneo, composto por representantes de entidades de reconhecida credibilidade nas áreas do empreendedorismo, do ensino superior e do sistema financeiro. Cabe ao júri selecionar os projetos finalistas, depois de uma primeira triagem feita pela Comissão de Análise e Seleção do prémio. De entre a short list final, o júri escolhe o grande vencedor do prémio, que será, como habitualmente, anunciado durante uma gala organizada para o efeito.
 
O Prémio do Jovem Empreendedor foi criado em 1998 pela Academia dos Empreendedores da ANJE, tendo já galardoado (como vencedores absolutos, vencedores por categorias e menções honrosas) 39 projetos empresariais e seus responsáveis. Na sua primeira edição, o galardão da ANJE consagrou a Critical Software, que é hoje uma referência mundial no desenvolvimento de soluções de software e serviços de engenharia de informação para o suporte de sistemas críticos. 
 
De resto, ao longo das suas várias edições, o Prémio do Jovem Empreendedor distinguiu outras empresas de base tecnológica com intensidade de inovação e internacionalmente competitivas, como a Crioestaminal, a Biosurfit, a Ative Space Technologies, a Master Blank, a CreativeBitBox, a Acellera Therapeutics, a Bn´ML, a Top Research, a TargetTalent, a Exogenus Therapeutics e a Infraspeak. 
 
Mais informações e candidaturas aqui.
 
23.09.2019